Aparelho autoligado causa menos dores e pode ter resultados mais rápidos

Por Dra. Patrícia Mazzarioli /  Fotos: Divulgação

O aparelho ortodôntico autoligado causa menos dores e pode ter resultados mais rápidos. Entenda a diferença desse tipo de aparelho ortodôntico com os modelos tradicionais e veja quando eles são indicados.

O que é aparelho autoligado?
Aparelho autoligado é aquele no qual as próprias “pecinhas” (bráquetes) possuem um clipe que prende o fio a própria peça. Ou seja, esse clipe do bráquete exerce a função da famosa borrachinha colorida. O aparelho autoligado não usa a borrachinha colorida para prender o fio ao bráquete. Foi descoberto que a “borrachinha colorida” era uma espécie de obstáculo à movimentação dentária, ou seja, ela oferecia um certo atrito, fricção… O autoligado então apareceu para melhorar a movimentação dos dentes.

autoligado2

É verdade que o tratamento termina mais rapidamente?
Sim… Se houver colaboração por parte do paciente e o dentista dominar a técnica. Não pense que aparelho autoligado é só colocar que ele resolve tudo sozinho. É necessário atenção e cuidados. As peças podem soltar ao comer algo duro, o arco pode sobrar lá atrás e furar a boca…

As consultas podem ser mais demoradas?
Sim, o intervalo entre uma consulta e outra pode ser de um a dois meses. Mas o ideal é um bom acompanhamento, pelo menos de 40 em 40 dias para ver se tudo vai bem, tal como escovação, movimentações dentárias, se está tudo conforme o planejado.

Dói menos?
Como o atrito é menor, dói um pouco menos. Mas não é do jeito que você imagina.

 

autoligado1

 

Custa mais caro?
Como se trata de um tipo de tratamento um pouco mais sofisticado, em alguns consultórios custam um pouco mais caro, porem na nossa clinica www.odontomazza.com.br conseguimos chegar a um orçamento que caiba no bolso do paciente.

É verdade que junta menos resíduos em volta dele?
É verdade. Isso porque não há as borrachinhas (anel elástico de ligadura), que acumulam muitos resíduos. Mas há de se tomar muito cuidado com a escovação, pois os resíduos acumulam em volta das peças e se a escovação for ruim, ocorre à descalcificação (manchas brancas).

É verdade que o aparelho autoligado evita extrair dentes?
Esse tipo de aparelho provoca uma certa expansão na arcada dentária. Há casos em que essa expansão resolve o problema de espaço. Mas há casos que não, e há necessidade de se extrair dentes. Aparelho autoligado não faz mágicas. O ortodontista tem que pensar na saúde dos dentes e das gengivas.

O caso do paciente é planejado na documentação ortodôntica, com avaliação dos espaços necessários para alinhamento dos dentes e análise do perfil ósseo e mole (fotos). Não seria indicada uma expansão violenta no arco, para acomodar todos os dentes e evitar extrações. Isso comprometeria o perfil da pessoa. Além do que expansões demasiadas nos arcos não possuem estabilidade (ou seja, há possibilidade de voltar a ser tudo como era antes, depois de tirar o aparelho).

autoligado3Não pense que esse tipo de aparelho é milagroso. É muito semelhante ao tradicional, que usa as borrachinhas. Pode sair espetar, machucar. Tem que comer alimentos leves. Tem que escovar com cuidado, usar fio dental. Existem os bráquetes metálicos e os estéticos.

O que nivela os dentes é o fio e não o bráquete. Se o bráquete não for colocado na posição correta, pode “entortar” o dente. Os fios usados atualmente e que aceleram o tratamento são os de níquel-titânio e os termo ativados. O tratamento termina um pouco mais rápido que o tradicional, por não haver atrito. Mas a colaboração do paciente continua sendo o fator mais importante.

Se tiver mais dúvidas mande um e-mail para a Dra. Patrícia mazzarioli@hotmail.com e se deseja agendar uma avaliação, o leitor da revista Vulque não paga consulta.

Acesse www.mazzarioli.com.br

A Dra. Patrícia Mazzarioli é referência em Estética e Saúde Bucal e nos conta as novidades do setor com o aparelho ortodôntico autoligado.
Graduada pela UNG, pós-graduada pela NYU Universidade de Nova York – EUA – em Ortodontia Autoligada, especialista em Ortodontia pelo Instituto Vellini, pós-graduada em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares pelo SBOOM, pós-graduada em Ortodontia Clínica pelo Instituto Vellini, pós-graduada em Prótese sobre implante pela EAP-APCD, pós-graduada em laser odontológico pela EAP-APCDUSP, expoente em Estética e Saúde Bucal, conta as novidades do setor.

No Comments Yet

Comments are closed